sábado, 12 de julho de 2008

De poucos amigos

Andava sozinho por medo de se perder. De poucos amigos e palavras a mais, de cara feia batia no peito de troça dos que não ele. Sem companhia também na cama e na mesa, bastava-lhe, além de si próprio, o nada em sua forma mais que perfeita. Legítimo herói de si mesmo. E olhe lá, nem isso.

No espelho, sozinho e nu, tristemente leal à verdade. Um infeliz.

4 comentários:

Suzina disse...

Aeeeeeeeeee!!!!!

Um brinde à volta dos textos sobre outros temas (ou pelos menos que deixam a mente da gente livre pra pensar em outras coisas que não o futebol)!!!!

Poucas palavras pra dizer o necessário para fazer a mente viajar! Ótimo!

Isabela disse...

ê ê ele não é de nada

Anônimo disse...

aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee Thiago Crespo para presidente!!!!!
vamos fazer deste país um país letrado como nunca antes na história deste país!!!!!
é disso que o povo precisa para aprender a comer e a viver!!!
literafonia neles PQNU e manda a bala, carca o nabo que nóis vence em 2010!!!
CRESPÃO pro Brasil é solução!!!!
VIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Thiago Crespo disse...

Anônimo, mesmo? Sei...