domingo, 25 de janeiro de 2009

Crônica da cidade grande

Os homens apertam seus passos as crianças os seguem os ônibus bufam os carros restrugem as motos se agitam os ciclistas costuram o metrô voa baixo as faxineiras sacodem os skatistas deslizam os vôos não cessam os pedestres se esbarram os turistas se apressam os patrões se estressam os empregados se assustam a polícia acelera os ambulantes disparam os caminhões atravessam a chuva é dilúvio o jornal é ao vivo o padeiro sucede as fornadas o garçom equilibra as bandejas e os ponteiros não dizem as horas.

Tudo é bem rápido, menos a vida.

A vida pára.

3 comentários:

Pull disse...

E o Corinthians é hepta.

Suzina disse...

=O

Lilian disse...

é a única que não pára.
;*