sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Duas semanas depois

"Thiago... Thiag, opa! Que coisa feia, Juca, você esquecer o nome dele. Thiago... é o Thiago!".

Irrelevante que não tenha se lembrado do meu sobrenome. Depois de publicadas em seu blog, ter minhas palavras repetidas em seu programa na rede foi honra da qual não me esquecerei tão cedo. E foi emoção também, histórico que se fazia aquele momento.

O mundo inteiro, jornalistas ou não, opinava sobre a despedida de um dos maiores jogadores de todos os tempos. Ocasião do tipo em que todos se atrevem a dar um pitaco - ao que o meu, resumido em breves nove linhas, ganha forma na voz de uma referência profissional.

Pouquíssimo me cabe descrever as qualidades de Juca Kfouri, mas vale dizer que estamos tratando de mosca branca. Raros são os que conciliam imparcialidade e paixão revelada, despindo-se da hipocrisia que impede que o jornalista esportivo revele o time do coração. Raros são os que separam jornalismo e propaganda, combatendo o circo do merchandising com humor e severidade. Raros são os que enxergam o futebol para além das quatro linhas do campo, lutando incansavelmente contra as mazelas políticas e a tirania dos que governam o mundo da bola no Brasil. Juca é isso, é raro.

O convívio com gente insegura e perigosa faz parte do meio, mas, lá em cima, Juca nos dá lição de humildade e caráter ao reconhecer algum mérito na frase de um colega que ele sequer conhece.

Motivador, Juca, muito obrigado.

#O vídeo do programa está aqui.

[citação aos 7 minutos; aos 14min45seg, a confirmação do sobrenome]

7 comentários:

Mariela Mei disse...

Meu amigo é muito chique!

Bigode disse...

Ontem (01/03/2011) na cultura o Juca Kfouri estava presente no Cartão Verde. O programa foi sensacional e, sem dúvida, em grande parte pelo Juca, que levantou pontos sobre o clube dos 13 e copa no Brasil, entre outros assuntos.
Enfim, gostaria de te parabenizar por publicar um artigo muito bom e pela honra de ter a "parceria" com este grande jornalista.
Parabéns Juca!

Samurai das Sombras disse...

Essa foi boa, moleque. Mas pra não acabar com a tradição, achei uma merda.

Welington Amaral disse...

Texto incoerente, falta de coesão, erros gramaticais grotescos.
Um verdadeiro texto que demonstra todo cartel no mundo sujo e inescrupuloso do jornalismo brasileiro.

Thiago Crespo disse...

HAHAHAHAHAHA
Bem-vindo de volta, Bigod, digo, Wellington Amaral. Leitores como vc e o Fuj...digo, o Samurai das Sombras apenas fortalecem o exercício da escrita neste blog. É uma honra tê-los aqui, prometo me adequar ao padrão exigido por ambos.


Bigode (agora sim), assisti a uma parte do Cartão Verde citado. Aula de jornalismo e política em terreno que é a paixão do povo.

Mariela, querida, eu não sei bem o que é ser chique e costumo até rejeitar esse rótulo. Vindo de vc, porém, eu aceito como um elogio honroso.

No mais, viva Ronaldo.

Piunti disse...

Eu já sabia.

Mariela disse...

Hahahaha... O chique neste caso é para salientar o merecido reconhecimento... Pode com certeza tomá-lo como elogio.
Parabéns!