domingo, 28 de agosto de 2011

O milésimo gol

FUTEBOL NÃO É MATEMÁTICA, MAS A SOMA DE NOVECENTOS E NOVENTA E NOVE MAIS UM É O RESULTADO DE UM CRAQUE COMO JAMAIS SE VIU./

FUTEBOL NÃO É RELIGIÃO, MAS PELÉ É A SINTONIA PERFEITA ENTRE SANTOS, DEUS E INÚMEROS DISCÍPULOS./

SE FUTEBOL É PAIXÃO, NATURAL QUE SEU REI SEJA UM MENINO DE TRÊS CORAÇÕES. / MAS FUTEBOL TAMBÉM É IRONIA./ E DEPOIS DE TANTA ARTE, TANTO DRIBLE, TANTO GOLAÇO, QUIS O DESTINO QUE A COROA VIESSE DO JEITO MAIS FÁCIL./ ASSIM, PARADO./ DE PÊNALTI./

POUCO IMPORTA./ A BOLA QUE MORREU NO FUNDO DO GOL É A MESMA QUE PARA SEMPRE VAI VIVER À TONA DE NOSSA MEMÓRIA./

OBRIGADO, MAJESTADE, POR REPETIR MIL VEZES O DITADO QUE NOS SEUS PÉS SEMPRE FOI POESIA: FUTEBOL É BOLA NA REDE.//

domingo, 7 de agosto de 2011

Despertei a lhe procurar, nada vi senão o raio febril do dia a invadir meu recanto soturno. Você não dormia ao meu lado, tampouco abria as janelas para dispersar o perfume da noite de amor.

Procurei teus pés de criança de fora do cobertor, teu par de jabuticabas entreabertas a me pedir carinho. Desenhei teu rosto de anjo moreno sobre a cama vazia, enxerguei-te a sorrir sem motivo senão o dia vindouro em si mesmo. Tua manha, teu cheiro, nosso vigor recomposto antes mesmo dos corpos se levantarem. Tudo é você quando sem você.

Valeu de nada fugir às pressas do sonho ruim. Mil vezes fechar os olhos de novo a admitir a sombra da tua ausência.

Acordar sem você é o pior pesadelo.