segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

poema no bilhete


Não danço, amor
Não sei dançar
Se o soubesse
Então o faria contigo
Meu único par

Não danço, amor
Não sei dançar
Mas amo
Alegre e profundamente
Amo e sei amar
Se meu coração arrisca um compasso
É somente por ti
Meu único par

6 comentários:

Juliana Yonezawa disse...

Amei!!! Achei lindo... E aposto que nao fui a única ;)

Beijao p casal!!!

Lívia Ruiva disse...

Será q seria isso q o Vitor gostaria de dizer tb, qdo o chamo p/ dançar comigo? hahahaha

Mr. Lemos disse...

também não danço, amigo.
até tento, mas não sei dançar.
gosto mesmo é de sair contigo
pra encher a cara na mesa do bar.

;)

Thiago Crespo disse...

Você é gênio, malandro!!!!!!
Pois que esta poesia se transforme em obra do realismo e o tal boteco não se demore... =D

Ju, eu tentei... mas o seu esposo sabe muito mais de rimas do que eu!

Livia, impagável. É a primeira vez que este blog serve pra alguma coisa: vê se deixa o Vitinho em paz e esquece essa história de puxar o cara pra dança!!!!

Lívia Ruiva disse...

Sinceramente?! Não tenho nem o que te responder hahahahahaha Mas fica aqui o meu protesto p/ vc e p/ Vitor que não dançam hahahahaha

Mirelle Siqueira disse...

sempre preferi os que escrevem aos que dançam.