quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

seu rosto no céu

Arrumei a casa como se fosse lhe receber agora. Deixei flores e delícias para lhe encantar. Luzes acesas a retribuir a alegria da sua chegada e velas dispersas a testemunhar o calor do nosso beijo lépido. 

Preparei o jantar e o seu banho quente. Tudo como se fosse lhe receber agora. O vinho da safra mais velha e o perfume do frasco menor. Desenhei quadros novos na parede e pintei escadas prontas a nortear seus passos quando quiser descansar. Improvisei uns versinhos e os guardei debaixo do seu travesseiro.

Refutei a barba rala, desarrumei o cabelo para lhe parecer o seu menino de sempre. Dentre as novidades que há tanto guardo comigo, escolhi para lhe contar somente as mais breves. Para lhe ouvir mais e lhe saber melhor. 

Ensaiei meu abraço. Pressupus, em lágrimas, minha emoção. Combinei com os passarinhos que só parem de gorjear depois do amanhecer. 

E a despeito de toda a loucura, brindarei, contente que só, a mais uma noite na casa vazia. 





4 comentários:

Renan disse...

Brilhante!!!!

Mr. Lemos disse...

Lindo, meu poeta! Maravilha, como sempre!! Engraçado com consigo perceber esses sentimentos como se estivesse aí. Uma coisa, no entanto, só poderia mesmo sair de vc em linguagem figurada. "Arrumei a casa" definitivamente não está entre as suas ações comuns... hehehehe.
Abração

Thiago Crespo disse...

Renan, brilhante é a canção que eu ainda tô esperando você compor, bicho! Daqui a pouco eu já escrevi toda a letra e você ainda nem bateu o primeiro acorde =P

Ernani, seu pilantra, vc tá eng... vc... well, vc tem roda razão =x

Valeu, moçada =)

Helen Valverde disse...

Cá estou e imagine qual não foi a minha surpresa!