segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

dez a zero


Amigos corintianos, amigas solteiras, 

Diziam que ele não tem "a cara" do Corinthians. Diziam. Mas qual é "a cara" do Corinthians de hoje senão o sorriso e a vitória? Senão a estrela? 

Diziam, aliás, que ele é "estrelinha". Antes do início do jogo, foi o protagonista em pleno banco de reservas.  Atendeu a todos com a timidez de quem ainda está se acostumando a voltar pra casa. No intervalo,  procurei por ele para perguntar sobre as reações, a ansiedade, o estranho hábito de amarrar e desamarrar as chuteiras a todo minuto. Mas ele se esquivou, exatamente por não ser "estrelinha"... Depois de três gols e tantos nomes em evidência no primeiro tempo, não seria justo aceitar os holofotes sobre si mesmo.

Diziam também que, depois de tantas lesões, ele estava morto. Diziam. Para as mulheres, é o rosto de menino prodígio... Para os homens, é o número estampado sobre suas costas: ele tem sete vidas. 

Deixemos que digam. Digamos que deixa estar... A beleza de Alexandre Pato está na genuína alegria de quem vive, tão cedo, os primeiros passos do recomeço.



Um comentário:

Mr. Lemos disse...

E que recomeço, amigo.
Acho fácil ser repatriado, estrear no maior time do mundo e ter aquela mulherada toda em cima.
Agora, ser entrevistado por Thiago Crespo logo de cara... Isso é foda! Ele não falou com vc de primeira porque estava emocionado, irmão!!!
Salve, meu ídolo!!